20 milhões de cães são abandonados no Brasil

A OMS estima que haja cerca de 30 milhões de animais abandonados no Brasil, sendo que 20 milhões deles são cães. Para se ter ideia do tamanho desse problema, há em média um cachorro abandonado para cada cinco habitantes nas grandes capitais do país. 

São 20 milhões de cães com frio, fome, e vulneráveis a todo tipo de situação, como doenças, brigas e atropelamentos. Mesmo que a conscientização em relação ao direito dos animais tenha aumentado significativamente, ainda tem pessoas que enxergam os animais como meros objetos. Mas o que com certeza essas pessoas não sabem, é que a atitude delas poderá ter um preço perante a sociedade, inclusive penal. Entenda mais a seguir.

Abandono de cães e seus impactos

Quem abandona um cão na rua tem a sua parcela de responsabilidade na transmissão de doenças infecciosas, já que cães de rua têm maiores riscos de desenvolver zoonoses, doenças que são transmitidas de animais para seres humanos. O risco ainda é maior para cães abandonados em áreas silvestres, como parques, por exemplo.

Além de ser uma irresponsabilidade, o abandono de animais é crime, previsto pela Lei Federal nº 9.605/98, e reforçada pela Lei Federal nº 14.064/20, podendo resultar para o dono até cinco anos de detenção.

Cão abandonado pelo dono — Por que isso acontece?

As justificativas dos donos para abandonar seus cachorros são diversas. As mais recorrentes são alterações de comportamento, mudança para um novo local, dificuldades financeiras, e até mesmo viagens de férias e de final de ano. Mas é claro que tudo isso não passa de justificativa para escapar da responsabilidade com os seus pets. Animais não são brinquedo, pois sentem frio, fome, adoecem, e sofrem de saudades de casa e dos donos.

Durante o período de pandemia, os níveis de abandono de cães têm aumentado curiosamente, e muito disso se deve por informações equivocadas. O coronavírus é transmissível apenas entre humanos, não havendo nenhuma comprovação científica de transmissão entre animais.

Cremação pet — Um ato de respeito

Um outro ato incorreto é enterrar cães em qualquer local, ou pior, jogá-los em algum terreno baldio. Esse ato é considerado como crime ambiental, pois além de causar danos ao lençol freático, o necrochorume liberado pelo cadáver é transmissor de diversas doenças, como hepatite e leptospirose. 

Assim, caso o seu pet venha a falecer, o mais recomendado é que você providencie uma destinação correta aos seus despojos, e isso pode ser feito através de sepultamento em cemitérios próprios ou através de cremação.

Enterrar x Cremar

A cremação é recomendada pela sua praticidade e agilidade em encerrar de vez o processo de luto. Cemitérios de animais cobram taxas de manutenção, fora que dentro de dois anos, será necessária a exumação dos ossos, uma etapa que poderá ser dolorosa ao dono.

Com a cremação pet, você não terá nenhum gasto posterior, podendo se despedir do seu cão sem maiores preocupações.

Onde cremar o meu pet?

A Planos Pets tem planos funerários da modalidade preventiva e de ação imediata. Para conhecer cada um deles, acesse o link. Se deseja entrar em contato conosco para sanar dúvidas ou obter maiores informações, basta entrar em contato pelo telefone: (11) 2532-8498, ou pelo WhatsApp: (11) 99008-3670.

Veja mais notícias em nosso site.

logotipo

Cadastre-se em nossa lista de parceiros e receba nossas novidades!

Publibusiness

Para entrar em contato conosco, preencha dos dados abaixo envie sua mensagem.