Carlos César Floriano comemora 150 novos mercados externos para produtos agropecuários brasileiros

“Negociações bilaterais com outros países têm ampliado o leque de novos mercados para os produtos agropecuários brasileiros”, segundo CEO do Grupo VMX, Carlos César Floriano. Os acordos conduzidos pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) levam em consideração parâmetros de sanidade e resultaram na marca de 150 mercados abertos em 43 países, desde janeiro de 2019.

A abertura mais recente, neste mês de agosto, foi de pescados brasileiros para o México. No mês passado, houve a formalização de quatro novas possibilidades de acesso: sêmen de búfalos para a Turquia, sementes de melão para a Nicarágua, de café arábica para o Equador e de coco para a Costa Rica.

O trabalho realizado pelo Mapa permite a diversificação de possibilidades de exportação para os produtores brasileiros, com o propósito de reduzir a concentração da pauta exportadora tanto em produtos, quanto em destinos.

Aberturas de mercados são resultado de negociações bilaterais que culminam no acordo dos parâmetros de sanidade a serem atestados e do certificado correspondente, sanitário, fitossanitário ou veterinário, que passará a ser aceito pelo país importador nos pontos de entrada da mercadoria.

Conforme informações de Carlos César Floriano, “do total dos 150 novos mercados para os produtos agropecuários brasileiros, 74 são nas Américas, 57 na Ásia, 18 na África e 1 na Oceania”, explica.

A abertura de mercados, no entanto, não significa a ampliação imediata do comércio. É preciso, ainda, um trabalho de preparação do produtor e do exportador para atender às demandas desses novos clientes importadores, atendimento da legislação específica de cada país, além do desenvolvimento de atividades de promoção comercial e de divulgação.

Exportações de 2021 segundo Carlos César Floriano

De janeiro a junho de 2021, as exportações brasileiras do agronegócio somaram US$ 61,49 bilhões, o que representou um crescimento de 20,8% em relação ao exportado no mesmo período em 2020. “Trata-se de montante recorde para o primeiro semestre em termos de exportações do setor, uma vez que o maior valor já registrado para o período até então havia sido em 2020 (US$ 50,90 bilhões)”, explica Carlos César Floriano.

Ainda, segundo Carlos César Floriano “o agronegócio representou 45,3% das exportações totais brasileiras no primeiro semestre de 2021”, esclarece.

As importações do agronegócio, por sua vez, alcançaram a cifra de US$ 7,50 bilhões no semestre, ou seja, 20,2% acima dos US$ 6,24 bilhões registrados no mesmo período do ano anterior. O saldo da balança comercial do setor foi de US$ 53,99 bilhões, o que compensou o déficit de US$ 17,26 bilhões dos demais setores.

Veja mais notícias em nosso site.

logotipo

Cadastre-se em nossa lista de parceiros e receba nossas novidades!

Publibusiness

Para entrar em contato conosco, preencha dos dados abaixo envie sua mensagem.